sexta-feira, 13 de março de 2009

Deixo a chuva molhando os corpos
dos que têm medo de adoecer...


Deixo a onda batendo nas pedras,
aos que negam o conhecer...

Aos corajosos, 
o balanço de um barco em meio ao mar.

Uma criança gargalhando, 
aos infelizes...

Um velho sorrindo, 
aos que fogem da velhice...

Aos que não valorizam o simples, 
deixo o prazer de comer de mão.

Deixo um pássaro cantando
aos insensíveis.

Deixo a lua cheia
 aos que não olham "pro céu".

Aos atenciosos, 
deixo a folha caindo.

Um abraço forte
aos que buscam um contato.

O presente desejado
à criança carente.

Deixo um olhar profundo
aos que não olham nos olhos.

Deixo um lar
aos que somente têm a rua.

Aos catadores de lixo, 
uma mesa farta.

4 comentários :

  1. Valeu, Nega. Em breve tem mais coisas.

    ResponderExcluir
  2. E o que deixar a um poeta? Ah, é muito díficil. Mas, para você ( poeta) deixo a vida que em suas retinas se tornam poesia.Lindo testamento!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir